Fala Que Eu Te Escuto – Dependência Afetiva

Envie a um amigo! Envie a um amigo!      Imprimir Texto Imprimir Texto
Dê sua nota:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem Classificação)

A leitora F. enviou um e-mail contando o que está acontecendo com ela e o seu casamento. Nos demonstra como é estar dependente afetivamente de alguém. Ela conta como não consegue viver sem o marido e o medo de perdê-lo e entrar em depressão.

Vamos ao relato dela:

Acho que estou sendo traída amo muito meu marido e não sei o que fazer preciso de um conselho pois estou quase entrando em depressão e isto não sai da minha cabeça é dia e noite, nem consigo dormir direito por causa disso, faço tudo o que ele quer porque não consigo viver sem ele, tenho medo de ele me abandonar e eu ficar louca sem ele do meu lado! Beijos me dê um conselho rápido por favor obrigada!

F. você acha que está sendo traída, porém, não informa o porque de estar achando isto, mas em contrapartida, você diz que faz tudo o que ele quer pois, não consegue viver sem ele e que tem medo dele te abandonar.

Ora minha cara, sejamos sinceros e honesto, quem irá valorizar uma pessoa que não se impõe? Se você não se impor, não se valorizar, quem então irá? Você pode ser louca por ele, pode amar muito ele, mas jamais, eu disse jamais, deixe de viver sua vida em prol de outra pessoa. O que quero te dizer é que o seu marido não é o responsável pela sua felicidade, você é responsável pela sua felicidade. É normal você ter medo de perder alguém que ama, porém, esta pessoa não é a razão de sua existência. Entrar em depressão só irá piorar a sua vida, pois, dessa forma, você estará fraquejando.

O que eu posso te dizer é que você se ame em primeiro lugar (parece meio manjada esta frase, mas é uma máxima) e depois ame a outra pessoa. Não encare o seu marido como a razão de sua existência, pelo contrário, encare como um complemento para a sua felicidade, para a sua vida. As pessoas quando estão juntas, devem somar e nunca subtrair, se por algum motivo só estiver ocorrendo a subtração é sinal de que não eram para estar juntos mesmo.

Espero que você encontre uma luz para as suas decisões e consiga entender que, ninguém além de você é responsável pela sua felicidade.

Estarei aqui sempre que precisar para desabafar. E por favor, não cometa besteiras por conta de um relacionamento que não deu certo (espero que não seja este o seu caso).

Procure sentar e conversar com o seu marido, dialogar com ele, procurar saber se ele está insatisfeito com algo na relação de vocês dois. Quem sabe assim, você não encontre respostas para as suas aflições?

Abraços e fica na paz!

E vocês caros leitores? Qual a opinião de vocês em relação ao que ela está passando? O que vocês teriam a dizer para a F. ?

Tags: , , , , , , , ,

Quem é o Rafhitch?

O Rafhitch é escorpianino, nascido e criado em Salvador-Ba, é uma pessoa fechada por ocasiões da vida, reservada (típico dos escorpianinos) e analítica por natureza, que adora estar em contato com os amigos e procura sempre preservar suas amizades. Uma pessoa difícil de entender, complicado às vezes, infantil sempre e brincalhão eternamente.

Subscribe to Comments RSS Feed in this post

2 Responses

  1. Acho que você tem razão Rafa, a melhor solução para ela é, antes de qualquer coisa, se valorizar e depois uma conversa franca com o marido para saber o que está realmente acontecendo!

O que você pensa sobre o assunto? Deixe sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

*
*