Relacionamentos no Século XXI

Envie a um amigo! Envie a um amigo!      Imprimir Texto Imprimir Texto
Dê sua nota:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem Classificação)

Recebo diariamente e-mails de leitores me pedindo conselhos sobre como arrumar um namorado(a), como conquistar a pessoa amada, outros questionam o porque não conseguem encontrar uma pessoa legal, etc. e foi pensando nesses e-mails que eu resolvi escrever este texto.

Não sei se é impressão minha, mas venho percebendo que nos dias de hoje, as pessoas evitam assumir um relacionamento. Preferem manter uma relação casual, sem o compromisso com o outro, sem o apego emocional – mesmo sabendo que em uma relação, corre-se o risco de se apegar. Há também quem prefira ser a outra pessoa na vida de alguém, ser amante e não namorado(a).

Então, me pergunto o que tem levado as pessoas a não desejarem assumir uma relação, o que faz com que elas desejem manter uma vida de relacionamentos casuais? Irei expor aqui a minha visão sobre relacionamentos nos dias atuais. E quem sabe dessa forma, eu não consiga responder a estas perguntas.

Fazendo uma analogia, vejo um relacionamento como a busca por um emprego. A pessoa procura uma vaga que satisfaça o seu interesse – no caso, procura uma pessoa que se encaixe no perfil desejado – em seguida, ela concorre a esta vaga, procura ser aceita pela empresa, ou seja, concorre e disputa pela conquista da outra pessoa. Uma vez aceita pela empresa, começa a demonstrar trabalho, quer fazer tudo para mostrar que é um funcionário competente e que tem disposição. Porém, com o passar dos tempos começa a perceber que seus trabalhos não estão sendo devidamente reconhecidos pela chefia e começa então a ficar desestimulado(a), cansado(a) de demonstrar serviço e não ser valorizado e nem reconhecido.

Diante disso, se o funcionário não tiver coragem para pedir demissão, começará a ser negligente com o seu trabalho, faltará muito, esquecerá datas importantes, buscando dessa forma ser demitido. Se por outro lado o funcionário for decidido, pedirá demissão e não irá se preocupar com mais nada e então, começará novamente o ciclo para encontrar uma nova vaga em outra empresa.

Bom, o que eu quis com toda esta história? Se pararmos para analisar, o que relatei acima é o que vem ocorrendo hoje com os relacionamentos. O casal se conhece por acaso, procuram conquistar um ao outro, demonstram interesse um pelo outro, porém, com o passar do tempo, com o convívio e com a rotina, começa a falta de atenção e consequentemente as frustrações. Ocorre então que, uma das partes envolvidas passa a ficar desestimulada, cansada de demonstrar interesse e a outra parte não dar o devido valor, a devida atenção. Então, ou a pessoa é decidida o bastante para por um ponto final no relacionamento, ou irá se frustrar cada vez mais achando que, em algum momento, a outra pessoa irá mudar e quando a relação chega ao fim, a tristeza é inevitável em uma, ou ambas as partes.

Talvez esteja aí o motivo das pessoas atualmente evitarem tanto um relacionamento sério. O medo ou receio do desapontamento com a outra parte, o medo de não suportarem o fato de o relacionamento chegar ao fim e por isso preferirem manter apenas relacionamentos casuais. Ou quem sabe, não têm mais ânimo e disposição para começar todo o clico que um relacionamento sério exige, daí preferem manter relacionamentos onde o lema é “pego mais não me apego”.

Agora eu gostaria de saber a opnião dos leitores. Deixem seus comentários com as suas opniões.

P.S. Andei sumido por causa de outras atividades porém, estou de volta.

Tags: , , , ,

Quem é o Rafhitch?

O Rafhitch é escorpianino, nascido e criado em Salvador-Ba, é uma pessoa fechada por ocasiões da vida, reservada (típico dos escorpianinos) e analítica por natureza, que adora estar em contato com os amigos e procura sempre preservar suas amizades. Uma pessoa difícil de entender, complicado às vezes, infantil sempre e brincalhão eternamente.

Subscribe to Comments RSS Feed in this post

22 Responses

  1. Gato…
    Eu tou mais para esta sua ultima opção,
    Sem anino para começar tudo de novo,
    tambem sem acreditar…
    Talvez seja melhor estar só para não
    não sofrer!
    juntando tudo isto, mas o fato de que ser
    livre é muito bom, estou eu vivendo!

    mas mudando de assunto…Sobre o
    comentario no meu blog , me deixou curiosa…
    hahaha
    Agora quero ver para conferir!
    beijooooooo

  2. Adorei a analogia que você utilizou.
    Acho que funciona bem assim mesmo…

    =)

  3. Faz muito sentido o que você escreveu.

    Certa vez, disse ao meu marido que se nos separarmos, dificilmente vou querer outro relacionamento sério. É muito complicado…

    Mas graças a Deus, estamos muito bem e espero que isso nunca aconteça! =)

  4. Na verdade o que vejo por ai é que ambos os sexos estão em busca da mesma emoção, mas, ambos também estão inseguros e com medo de se entregar, se deixar amar e amar. Depois do baque de perder um dos amores da minha vida pra uma fatalidade decidi q não mais ficar com joguinhos de conquista vazias, estou numa relação agora e estou total entregue, se acabar a emoção, beleza! Mas nao vou me isolar e cair na nóia do medo. Quero muito continuar amando e sendo amada.

    Bjos meu lindo!

  5. Olá…

    seja muito bem vindo… e fique à vontade para me dar conselhos lá tbm.. hehehe..

    Gostei daqui e voltarei com frequência…

    Mas quanto ao que escreveu… eu acredito que além do que expôs existem outras tantas questões… vou citar apenas uma que é a que mais me chama atenção… percebo tbm uma grande “oferta” tanto de homens e mulheres.. o que deixa alguns sem se decidirem… preferindo viver relacionamentos casuais a se “prenderem” a uma pessoa só…

    Beijo…

    • Clarissa, o que você falou é muito importante. Com o aumento da oferta, os relacionamentos tornaram-se mais fáceis e daí as pessoas não sentem necessidade de assumirem nada mais sério.

      Beijos e volte sempre!

  6. Legal,

    gostei daqui;

    bjos

    • Que bom que gostou!

      Espero que volte mais vezes!

      Beijos!

    • Vale9ria,As vinedcolas que este3o preparadas para rebecer turistas e que este3o perto da Capital se3o Establecimiento Juanicf3, Bodegas Bouza, Castillo Viejo e Pizzorno. Todas elas este3o prf3ximas de Montevide9o. Fae7as contato atrave9s dos e-mails: , , , . Pode falar que foi minha indicae7e3o que certamente te dare3o atene7e3o especial, porque normalmente nas vinedcolas os brasileiros se3o bem recebidos. Procure almoe7ar na Bouza porque tem um f3timo restaurante. A bodega e9 muito bonita, tem ate9 um museu de carros antigos. Vc vai gostar muito dos vinhos uruguaios porque se3o muito equilibrados. Compre vinhos desses produtores e tambe9m de Pisano, o mais conhecido fora do Uruguai e certamente um dos melhores. As demais questf5es vc podere1 se informar nos hote9is ou nessas vinedcolas que te passei os e-mails. Almoce no mercado perto do Porto de Montevide9o, porque he1 f3timos restaurantes. Procure harmonizar carne de cordeiro com tannat para comprovar que um dos melhores vinhos para acompanhar carne e9 o uruguaio. attJeriel

  7. Achei esse seu texto bastante interessante, Rafa. Acho que não existe uma só resposta para que seja mais fácil ter um relacionamento casual do que um relacionamento sério hoje em dia. Além da falta de ânimo para essa conquista diária que um relacionamento sério exige, há o medo de se apegar e se machucar e também há a grande “oferta”, como disse a leitora acima, que faz com que muitos prefiram ter vários relacionamentos casuais a um sério e duradouro. Minhas decepções não me fizeram desistir de ter um relacionamento sério, mas, sinceramente, está cada vez mais difícil conseguir alguém que pense da mesma forma que eu.
    Beijos.

    • O medo de se apegar existe e é inevitável e consequentemente vem o medo de se machucar.

      E que bom que mesmo com suas decepções, não te fizeram desistir!

      Bom, infelizmente temos que nos acostumar com esse “modismo” de relacionamentos casuais, até encontrar alguém que queira o mesmo que nós!

      Beijos Quel!

  8. Olá Rafa, gostei muito do seu texto. Acredito que esse descompromisso venha do medo de sofrer novamente uma desilusão. É uma forma de proteção, escudo mesmo.
    É isso.
    Inté.

    • Olá Diana! Obrigado pelo seu comentário.

      Bom, pode ser que seja mesmo o medo de sofrer uma nova desilusão que venha a fazer com que as pessoas busquem este descompromisso.
      ;)

      Beijoss!

      Feliz Natal e um Ano Novo maravilhoso!

  9. Você esclareceu exatamente como a maioria enxerga relacionamentos hoje, o que é mais complicado é você aprender a burlar isso, pois é raro encontrar, pessoas dispostas e corajosas, a tentar entrar em um relacionamento.

    • Acho que as pessoas têm medo de entrar em um relacionamento e ter que mudar um pouco as atitudes e a forma de agir em prol de um bom relacionamento.

      Aí preferem entrar em relacionamentos casuais, sem a necessidade de se apegarem a alguém ou algo.

      É a vida né?

  10. Olá! Concordo com você, mas acho que a verdadeira frustração em um relacionamento é depositar muita responsabilidade ao outro. Essa história de encontrar a sua “cara-metade” ou “a outra metade da laranja”, como se até lá nós não pudéssemos ser felizes e completos. O outro não deve ser o único responsável pela sua felicidade. Precisamos ser mais independentes, pois assim as relações serão mais agradáveis, mais leves e menos complicadas… É o que eu acho! Muito legal o assunto do post!

  11. Escrever o nome dele embaixo do pé esquerdo e bata no chão por 3 vezes dizendo:Debaixo do meu pé esquerdo, te prendo(RRM), te amarro(RRM), e te mantenho(RRM) pelo poder das 13 almas benditas.Que assim seja , assim será, assim esta feito.Que você venha me procurar, dizendo que me ama e quer ficar para sempre comigo.Enquanto você não vier, não irá comer, nem dormir e nem terá vontade de outra mulher ao seu lado a não ser eu (AGA).Assim seja e assim será assim esta feito.(Puplicar no mesmo dia 4 vezes, e se sonhar, não revele o sonho a NINGUÈM).

O que você pensa sobre o assunto? Deixe sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

*
*