Sexo Tênis ou Sexo Frescoboll?

Envie a um amigo! Envie a um amigo!      Imprimir Texto Imprimir Texto
Dê sua nota:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (3 voto(s), média: 3,67 de 5)

Outro dia desses eu estava assistindo o programa do Jô onde o mesmo, estava entrevistando o professor Rubem Alves (ótimo escritor por sinal). O querido professor Rubem Alves fez uma metáfora entre o sexo e dois esportes: o tênis e o frescoboll.

“Esses dois esportes são praticados por duas pessoas apenas e com objetivos diferentes”, assim explicou o professor. Enquanto no tênis pode-se perceber aquela rivalidade entre os jogadores onde, ambos tentam vencer fazendo uma jogada diferente e tirando do outro jogador a possibilidade de alcançar a bola, no frescoboll é totalmente diferente, ambos os jogadores sentem prazer em tentarem se manter no jogo e não tirar o outro da jogada. As raquetadas do frescoboll não são para tirar do alcance da bola o oponente, pelo contrário, são para que o mesmo possa rebater a bola e dessa forma, o jogo durar mais tempo. Quanto mais tempo com a bola sendo rebatida no jogo, melhor para os jogadores.

Fazendo agora a metáfora entre os dois jogos com o sexo, o tênis, segundo o professor, pode ser comparado com a ejaculação precoce, onde o homem faz a penetração e chega ao gozo rapidamente. “Pronto gozei! Agora você se vira aí pra chegar ao orgasmo.” Já o frescoboll pode ser comparado com aquela relação sexual tida como perfeita, onde ocorre a penetração diversas vezes levando ambos os participantes ao orgasmo. Um vai e vém gostoso, um êxtase sem fim, onde cada participante tem a vontade de não parar mais. Essa foi a metáfora estabelecida pelo professor Rubem Alves durante sua apresentação no programa do Jô.

Porém, muitas vezes ocorre do frescoboll não ser praticado pelos casais atualmente. Seja por causa da correria do dia-a-dia, seja por falta de interesse no parceiro(a), seja por diversos motivos. O esporte que parece ser mais praticado pelos amantes é o tênis. Aquela rapidinha para não perder o costume, para manter a rotina de sexo programado com hora, local e tempo determinados para acabar. Muitos casais se queixam de insatisfação no relacionamento por que não há sexo. Mas, será que eles estão praticando o sexo da forma correta (frescoboll)?? Ou será que estão apenas procurando saciar os seus instintos e pronto (tênis)?

O blog Filosofia do Sexo divulgou um estudo realizado por sexólogos americanos e publicado no Journal of Sexual Medicine onde, os pesquisadores afirmam que a melhor relação sexual é aquela que dura entre 7 e 13 minutos. De acordo com a pesquisa, uma relação que dure entre 1 e 2 minutos (tênis???) é muito pouco. Se o ato sexual (só no tocante á penetração) durar de 1 a 2 minutos é “demasiado curto”, entre 3 e 7 minutos é “adequado”, de 7 a 13 minutos é “desejável” e mais que isso é “demasiado longo”. Ou seja, para os americanos, praticar o sexo frescoboll não seria aconselhável por ser demasiado longo?

Claro que não estou dizendo para que a relação dure horas (como nos filmes pornôs) mas, por que estipular tempo para o sexo? Por que não praticar o mesmo sem cronômetro e só parar quando o casal chegar ao orgasmo, ao clímax extremo? É tão bom e saudável praticar sexo. Faz bem ao corpo, à mente, ao espírito e concordem ou não, nos deixa muito mais atraentes. Você se sente revigorado, se sente mais disposto depois de ter feito sexo. E é como a/o persecry disse no seu blog, “…e até hoje eu nunca vi uma mulher reclamando por ter 30 minutos de penetração (o que é difícil acontecer)”. Sexo é saudável e deve ser praticado sempre pelos casais. E variar um pouco, ou incrementar a relação com alguma idéia nova é sempre válido. Pensem nisso e pratiquem!

Tags: , , , , , , ,

Quem é o Rafhitch?

O Rafhitch é escorpianino, nascido e criado em Salvador-Ba, é uma pessoa fechada por ocasiões da vida, reservada (típico dos escorpianinos) e analítica por natureza, que adora estar em contato com os amigos e procura sempre preservar suas amizades. Uma pessoa difícil de entender, complicado às vezes, infantil sempre e brincalhão eternamente.

Subscribe to Comments RSS Feed in this post

9 Responses

  1. Hum….amei a comparação(huauhauhuahua), mais um texto show!!!

  2. Nossa, eu amo o Rubem Alves de paixão! Inclusive já tinha lido esse texto sobre tenis e frescobol no site dele… E concordo plenamente! lógico que as vezes, por conta da rotina, do cansaço, etc etc fazemos aquele sexo “tênis”, mas acho importantíssimo não “deixar a bola cair” e “jogar frescobol” com muito mais frequencia do que tênis! Rs

  3. Tênis, rima com pênis. Frescobol, sei lá, lembra “fresco”. Prefiro então jogo de peteca. Peteca eu gosto.

    Nossa, que besteira eu disse!

    Abraços.

    Enfil

  4. Tô gostando de vê moço!

    tá cada dia melhor nos textos

    Ainda bem q eu tinha dito p/ vc Frescoboll!
    HUAuhahhau

    bjinhos

  5. Oi,
    Passei para dar uma olhadinha no seu blog.
    Um beijo de Londres.
    Daniel
    http://www.sembolso.blogspot.com

  6. Boa semana!

    Abraços,

    Enfil

  7. eu tenho praticado frescoboll…
    amém!!

    deus me livre…sempre odiei tenis mesmo!!!

    obrigada pelo comentário . beijos

  8. Hummm me deu uma vontade de jogar frescoboll!!! Ui, ui…

  9. Ai ai… Me surpreendes mais a cada dia que passa.
    Muito interessante.

O que você pensa sobre o assunto? Deixe sua opinião!

O seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

*
*